Saiba como manter seu pasto mais produtivo no outono - Pastagem | Sementes Guinossi

Saiba como manter seu pasto mais produtivo no outono

Com a chegada da estação da queda das folhas, conheça dicas para manter a qualidade da produção


Publicado 20 de Março de 2020
Saiba como manter seu pasto mais produtivo no outono

Foto: Divulgação

Uma publicação da Embrapa destacou sobre as práticas para garantir um pasto de boa qualidade e um bom desempenho dos animais no outono. O segredo está no manejo adequado da pastagem. Para cada período do ano, o produtor deve adotar uma estratégia de manejo que venha garantir uma pastagem produtiva o ano todo. A tendência com a chegada do outono é a diminuição das chuvas e também do crescimento dos pastos.

– Geralmente no outono o capim cresce a metade do que no verão – afirma a especialista em pastagem Valéria Pacheco Euclides, que acredita em algumas estratégias para manter os pastos produtivos.

O produtor deve sempre ficar atento às mudanças climáticas, às recomendações da pesquisa, às tecnologias e tomar algumas decisões na propriedade visando manter uma boa produção e bons rendimentos.

Segundo a Embrapa Gado de Gorte, a primeira recomendação no outono em relação às pastagens para que elas se mantenham produtivas é diminuir a carga animal da pastagem e para isso, o produtor deve escolher quais animais retirar do pasto. Os bois que atingiram o peso de abate, em torno de 15 arrobas, devem ser vendidos e as vacas que não emprenharam, da mesma forma. A única saída para os animais que estão próximos ao peso de abate é entrar com uma suplementação alimentar até que eles atinjam o peso ideal.

A pesquisadora sugere oferecer diariamente uma mistura de concentrados equivalente a 1% do peso vivo. Ela elaborou duas fórmulas que podem ser utilizadas para um ganho esperado de 600 a 800 gramas por cabeça por dia:

Fórmula 1
Ingrediente Quantidade (kg) 
Farelo de Soja 45% 97,3
Ureia 6,7
Milho grão seco 380
Foscromo 16
Total 500

Fórmula 2
Ingrediente Quantidade (kg)
Casca de soja 235,1
Areia 16,5
Milho grão seco1 232,4
Foscromo 16
Total 500

O suplemento é servido dentro da própria pastagem. Com isso, os bovinos comem menos pasto e sobra mais forragem para a seca.

Quanto ao número de animais por hectare que uma pastagem suporta, seja no verão ou no outono, depende da forrageira. Os capins mombaça e tanzânia, adubados com 300 quilos de ureia por hectare, por exemplo, suportam 6 unidades animal (UA = 450 quilos) no verão, já nesta época, a carga deve diminuir para 3 UA. O mesmo não acontece com as braquiárias, que suportam entre 2,5 UA no verão e 1 UA no inverno. Isso acontece porque as braquiárias, geralmente, são utilizadas de maneira menos intensivas.

A altura do capim para entrada e saída de animais também conta e varia de acordo com a cultivar. Para o mombaça, a altura de entrada é de 90 centímetros e a saída, de 45 cm; para o tanzânia, 70 cm e 35 cm. Já para a maioria das braquiárias, a altura de entrada é de 30 cm e a saída de 15 cm – isso no caso do pastejo rotacionado. No pastejo contínuo, as braquiárias devem ser mantidas com 30 cm de altura durante o ano todo.

A pesquisadora alerta para um erro comum dos produtores nesta época do ano: o número de animais pesados na pastagem.

– Se deixar animais com 15 arrobas ou mais no pasto, a área estará sujeita a se degradar – destaca Valéria.

Ela recomenda aliviar o pasto no outono para uma maior oferta de forragem de boa qualidade na época da estiagem, principalmente para os animais que precisam ganhar ou mesmo manter o peso. Um pasto preservado e bem manejado pode garantir aos animais a manutenção do peso ou alguns quilos a mais na seca, entre 100 e 300 gramas por dia.

Como as chuvas se prolongaram este ano, ainda dá tempo para reservar pasto pensando em usar na seca, aponta Valéria, "mas tem que correr, porque esta situação é por poucos dias", avisa.

Adubação e vedação

A primeira ação, segundo a pesquisadora, deve ser a adubação do pasto com 100 quilos de ureia por hectare, isso irá promover maior acúmulo de forragem. O passo seguinte é vedar os pastos, não deixando animais nas áreas. A vedação é indicada para braquiárias, tiftons, capins estrela e massai. Deve-se evitar a decumbens em áreas com histórico de ataque de cigarrinha, alerta a pesquisadora. Quem vedar nestes próximos dias, pode obter um acúmulo de 3 a 4 toneladas de forragem por hectare, e quem vedou em fevereiro e março, pode esperar um acúmulo de forragem entre 5 e 7 toneladas por hectare.

São quatro opções de manejo neste início de outono: poupar o pasto descartando animais; suplementar aqueles que ainda não atingiram o peso de abate; vedar pasto para utilização na período seco; quem colheu soja por estes dias deve plantar o sorgo com braquiária (piatã ou paiaguás) e daqui 60 dias obter uma forragem de boa qualidade e, ainda, vedar em maio e junho os pastos consorciados com estilosantes.

A técnica de vedação, diferimento ou feno-em-pé, como são chamadas, é rentável, de baixo custo, de fácil adoção e recomendada em sistemas de produção com taxa média de lotação (em torno de 2,5 UA por hectare), taxa atingida quando as pastagens são bem manejadas, tanto nas águas como na seca. Nesse caso, o custo é menor do que as outras opções de conservação, como a silagem e a fenação, que envolvem o uso de máquinas e mão-de-obra, enquanto que na vedação, quem colhe a forragem na seca são os animais.

– A vedação é mais barata porque os outros processos, como o feno, por exemplo, exigem corte da forragem, secagem, enfardamento e armazenamento para depois distribuir aos animais – esclarece Valéria.

Fonte: Canal Rural


Mais de Pastagem
Manejo de pastagem: conheça mais sobre essa prática

Manejo de pastagem: conheça mais sobre essa prática

Conheça as práticas, benefícios e objetivos do manejo de pastagem na produção

Pastagens: conheça as suas categorias

Pastagens: conheça as suas categorias

Fique por dentro e saiba das 3 categorias de pastagem e suas características

Saiba como manter seu pasto mais produtivo no outono

Saiba como manter seu pasto mais produtivo no outono

Com a chegada da estação da queda das folhas, conheça dicas para manter a qualidade da produção

Pecuária a pasto: simples, barata e produtiva

Pecuária a pasto: simples, barata e produtiva

Conheça as etapas para se fazer uma boa pastagem

Saiba as vantagens do uso do feno na alimentação animal

Saiba as vantagens do uso do feno na alimentação animal

Emprego na propriedade pode favorecer o desempenho do rebanho

Clima influencia no desenvolvimento das plantas

Clima influencia no desenvolvimento das plantas

Existem muitas espécies que podem ser utilizadas como pastagem para o gado

Sementes piratas são fontes de pragas e doenças

Sementes piratas são fontes de pragas e doenças

Demanda anual pelas certificadas no Brasil chega a 50 mil toneladas

Escolha da forrageira é etapa essencial à pastagem

Escolha da forrageira é etapa essencial à pastagem

Escolher a espécie é uma etapa importante e depende do objetivo do sistema de produção

Quais as recomendações para uma boa pastagem?

Quais as recomendações para uma boa pastagem?

No território brasileiro, aproximadamente 95% da carne bovina é produzida em regime de pastagens, cuja área total é de cerca de 167 milhões de hectares.

Escritório

Rodovia Raposo Tavares
Km 620,3
Presidente Venceslau - SP

Atendimento

18 3271-3200
18 3271-3476
contato@sementesguinossi.com.br

© 2020 Sementes Guinossi. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Agência Prudente Empresas